2019.01.05 Queira Deus, Matriz da Luz, Santo Aleixo, 67 km

Passeio misto, asfalto e terra, com Ricardo e Ruy. Estradas de terra entre a BR-408 e a BR-232, passando na vila de Matriz da Luz, belas paisagens de morro e canaviais.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Advertisements

Misto XV

Sem título

Passeio misto de sessenta km no feriado da República. Eu, Eliane e Ricardo partimos às sete horas da manhã, direção Torre e Cidade Universitária. No ponto de encontro combinado, Rodolfo não estava, havia perdido a hora, seguimos. Passarela do Colégio Militar e BR-232, depois TIP, Curado, 232 e paramos no posto de gasolina de Santo Aleixo. Edson, que havia combinado, também não apareceu. Água e refrigerantes e seguimos pela estrada de terra de Manassu, próximos de Duas Unas. Estradas tranquilas e arborizadas, subidas medianas, sem grande dificuldade. Descemos no bosque de eucaliptos e pegamos a estrada de terra de Queira Deus e Muribara, desembocando na BR-408. Seguimos para São Lourenço e começamos o retorno, Camaragibe e Várzea, parada na água de coco da praça. Engenho do Meio e decidimos passar na casa nova de Ruy. Ele estava lá ocupado com ob ras e ajustes. Fomos para o Mercado da Madalena, Bar do Artur, onde degustamos a excelente fava frita com queijo coalho e carne de sol, Heinekens e cachaça Baraúna. Depois Torre e casa e banho e fim.

31.8.18 – Compra das bicicletas em Bordeaux – 25 km

img_20180831_151537839

Um dia de bastante trabalho. Bom café da manhã no Ibis e saímos a pé. Pegamos o bonde na avenida da margem do rio Garonne e descemos bem pertinho da Decathlon Bordeaux Lac, na qual eu sabia que haveria as bicicletas, já vira no site. Experimentamos alguns tamanhos das bicicletas, o modelo a gente já sabia, era o mesmo que compráramos no ano anterior na Decathlon de Roma. Bicicletas Rockrider 340, com 21 marchas, aro 26, freios V-brake, uma bicicleta sólida e confiável, adequada para carregar nossos alforjes, elas têm furação para bagageiro e nós levamos do Brasil nossos selins, pedais e bagageiros. Escolhidas as bicicletas, fizemos a compra, sem esquecer de pegar o formulário de “tax free”, para poder receber de volta parte do IVA, no aeroporto de volta ao Brasil.

O trajeto do dia:

31-8-18

No lado de fora da Decathlon, colocamos nossos selins nas três bicicletas. Na de Eliane, fiz também a troca da mesa, visto que Eliane não gostava da mesa original e preferia uma mesa mais elevada. Voltamos para o centro de Bordeaux pedalando pela margem do Garonne, uma grande esplanada que é totalmente dedicada a pedestres e ciclistas. Fizemos um passeio pelo centro e pela famosa Pont de Pierre, depois fomos almoçar em um dos restaurantes da esplanada do Garonne. Como todos os nossos almoços da viagem, sempre acompanhados de cervejas e vinhos. De fato, penso que alcançamos uma boa média de cerca de duas garrafas de vinho por dia.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Depois do almoço, mais tarefas necessárias à viagem. Na Maison du Pelerin Bordeaux Compostelle, o albergue de peregrinos de Bordeaux, pegamos nosso primeiro carimbo (tampon) na credencial e compramos nossas vieiras, um dos símbolos da peregrinação. Em seguida, fiz uma pesquisa nas principais empresas de telefonia e comprei três SIM cards para nossos celulares na Free, por 30 euros cada, para utilização durante um mês. Mais alguns vai e vem pelo centro histórico e voltamos ao hotel para cuidar da preparação das bicicletas.

img_20180831_125828951

O Ibis Meriadeck dispõe de estacionamento subterrâneo e foi lá que trabalhamos na preparação das bicicletas. Instalamos bagageiros e verificamos a fixação dos alforjes. Na minha bicicleta, instalei também bagageiro dianteiro, bar ends e retrovisor. Na minha e na de Eliane, colocamos bandeiras do Brasil, isso é muito bom pois facilita a conversa com habitantes locais e com brasileiros pelo mundo, além de chamar a atenção dos veículos, aumentando a segurança.

À noite, ainda passeamos um pouco e experimentamos vinhos e comidinhas na parte antiga da cidade.

img_20180831_230615115_ll