2º dia: Pitimbu – João Pessoa (58 km)

Ontem, passamos parte da noite com Guilherme, Vange e sua famíla, pois os pais de Vange moram em Pitimbu, a gente não sabia, e Guilherme e Vange foram nos buscar na pousada para jantar na casa deles. Uma noite divertida.

Hoje, segundo dia de cicloviagem, um dia sem muitos atrativos de paisagem, pois seguimos pela rodovia PB-08, de Pitimbu até João Pessoa. A rota pela praia, mesmo com maré baixa, tem muitos rios para atravessar, sem a certeza de encontrar barco para fazer a travessia. Também há trechos de pedras. Portanto, preferimos apenas fazer o dever de casa e seguir pela rodovia mesmo. Saímos de Pitimbu por volta de oito e meia, pegamos a rodovia que é um verdadeiro tobogã. Contamos cerca de 18 subidas longas. Bagaceira quase dá em mim. Fizemos uma parada em uma barraca de cocos, perto de Tambaba, e outra paradinha em um mercadinho de Jacumã para lanchar. Até Tambaba, estrada ótima com pouco movimento de veículos. O trecho que passa por Jacumã é péssimo, igual àquele trecho do Janga em Pauista: movimentado e esburacado. Depois de Jacumã melhora. Enfim, chegamos em João Pessoa, almoçamos e encontramos uma pousadinha no Cabo Branco.

Um fato curioso. Quando passávamos pela ciclovia da Ponta do Seixas, vimos já de longe, na outra mão, três cicloviajantes, dois rapazes e uma moça, carregadíssimos de bagagem, e com uma grande bandeira na bicicleta. Não identifiquei de qual país era a bandeira, mas achei que era de país da América do Sul. Passamos nos cumprimentando e acenando alegremente. Quando chegamos no hotel, havia uma mensagem de um rapaz do Chile, participante do Warmshowers, que dizia estar viajando com a namorada e um amigo, de Fortaleza para Recife, e pedia para se hospedar lá em casa. Expliqueia ele, por mensagem, que eu e Bagaceira estávamos também viajando de bicicleta em sentido contrário. Daí que o rapaz perguntou se nós havíamos nos visto hoje. Só então percebi que os três cicloviajantes que vimos eram os mesmo que pediam para ficar lá em casa. Que impossível coincidência!

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Pitimbu – João Pessoa
Advertisements

1º dia: Recife – Pitimbu (88km)

Primeiro dia de cicloviagem, fizemos 88 km entre Recife e Pitimbu. Saímos de casa por volta de seis e meia da manhã, seguimos por Olinda, Janga e Maria Farinha. Atravessamos de barquinho para Nova Cruz (3 reais por pessoa). Seguimos na direção de Mangue Seco, a maré estava seca e conseguimos pedalar e caminhar até a Coroa do Avião. De lá, barquinho para o Forte Orange (10 reais por pessoa). Seguimos pela praia até o centro de Itamaracá, depois pela estrada calçada até o Rio Jaguaribe, com travessia de barquinho a 2 reais cada.

Seguimos pela estrada de terra da praia do Sossego até o Pontal da Ilha, onde pegamos um barquinho chamado Nega Maluca e fizemos a travessia para Barra de Catuama a 5 reais por pessoa. Essa travessia assustou um pouco pois a maré estava cheia e havia ondas. De Catuama, seguimos para Ponta de Pedras onde paramos para almoçar. Seguimos para Carne de Vaca e quando chegamos no local de travessia, o barco já havia saído e estava no meio do Rio Goiana. Um rapaz disse que o barco não voltava e chamou um barqueiro para nos levar em seu barquinho. Ele cobrou 12 reais por pessoa e esse foi o barquinho mais estreito do dia. Com isso, a travessia assustou bastante, pois havia muitas ondas e o barquinho era bem pequeno.

Sãos e salvos, descemos em Acaú e pedalamos para Pitimbu, onde nos hospedamos em uma pousadinha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Recife – Pitimbu
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Recife – Pitimbu
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Recife – Pitimbu
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Recife – Pitimbu
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Recife – Pitimbu
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Recife – Pitimbu
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Recife – Pitimbu
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Recife – Pitimbu
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Recife – Pitimbu
OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Recife – Pitimbu
DSC_0018 (Medium)
Recife – Pitimbu
DSC_0020 (Medium)
Recife – Pitimbu
DSC_0036 (Medium)
Recife – Pitimbu
DSC_0039 (Medium)
Recife – Pitimbu
DSC_0041 (Medium)
Recife – Pitimbu